Back To Top

Soma Criação

Como as redes sociais podem afetar seus usuários

Nem tudo são flores no mundo digital

A tecnologia trouxe uma nova perspectiva à comunicação e ao modo como enxergamos o mundo. Quando conectados aos nossos computadores, celulares e tablets, não há barreiras. Conseguimos nos comunicar com pessoas que estão distantes e acompanhar, em tempo real, o que acontece do outro lado do globo. Uma coisa é certa: nossas vidas nunca serão as mesmas, e a tendência é que surjam versões ainda mais avançadas de eletrônicos e aplicativos.

O Brasil é o país da América Latina que mais utiliza as redes sociais. Em todo o mundo, fica atrás, apenas, das Filipinas. Dos mais jovens aos mais velhos, todos estão conectados! Dispensamos boa parte do tempo conferindo nossos perfis, de amigos, celebridades e, até mesmo, desconhecidos. Contudo, até que ponto estar grudado nas telinhas é saudável?

Distúrbios

Segundo estudo publicado pela Royal Society for Public Health e Young Health Movement, as redes sociais podem ser prejudiciais à saúde mental de jovens. Após entrevista com 1.500 pessoas, Instagram e Snapchat foram eleitos as piores delas. Shirley Cramer, diretora executiva da Royal Society for Public Health, afirma “é interessante ver como o Instagram e o Snapchat foram classificados como as piores redes de bem-estar e saúde mental. As duas plataformas são muito centradas na imagem e parece que podem provocar sentimentos de inferioridade e ansiedade nos jovens”.

Padrões inexistentes

Ansiedade, depressão, distúrbios do sono, solidão, cyberbullying e distorção da imagem foram relacionados ao Instagram. Segundo Luciana Ruffo, do Núcleo em Pesquisa em Psicologia e Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e especialista em tecnologia, os padrões irreais que aparecem nas postagens da plataforma costumam frustrar os usuários: “aquilo que vejo no outro, é o que eu quero ser. No Instagram, muitas imagens são produzidas e tratadas, mas quando as observamos, não notamos isso instintivamente e o que fica é uma imagem de perfeição, impossível de atingir”.

Síndromes

Pesquisas declaram que o uso excessivo do Facebook pode ocasionar distúrbios comportamentais que, em alguns casos, resultam no surgimento das “síndromes tecnológicas”. Esses distúrbios são considerados novos e continuam sendo estudados. Alguns deles são:

Síndrome do toque fantasma: Os usuários sentem a vibração ou escutam o celular tocar sem ter recebido notificações ou ligações. Acomete 70% das pessoas que utilizam o celular assiduamente.

Nomofobia: Medo de ficar sem o celular ou de não conseguir utilizá-lo por algum motivo.

Cibercondria: O usuário passa a acreditar que tem a doença sobre a qual leu na internet.

É importantíssimo dosar o acesso às redes sociais. Apesar da praticidade que as plataformas nos oferecem, os riscos à saúde mental são reais. Estar constantemente conectado no mundo virtual faz com que percamos acontecimentos do cotidiano, sem falar na distração. As crianças, em especial, devem ser observadas de perto e incentivada pelos responsáveis a se desconectar com frequência. 

Post a Comment